Rinoplastia: Tudo sobre o procedimento

Tempo de leitura: 16 minutos

O nariz é um órgão de destaque no rosto e, por isso, é um dos principais diferenciais para a harmonia dele. Dessa forma, a rinoplastia é um procedimento cirúrgico que tem o objetivo de melhorar a aparência e a proporção do nariz. Isso visa corrigir possíveis incômodos estéticos, mas também pode corrigir dificuldades respiratórias, defeitos de nascença e sequelas de traumatismo.

Como é possível realçar a harmonia facial, a rinoplastia também é útil para melhorar a autoestima das pessoas. O procedimento cirúrgico deve respeitar as características étnicas quanto as faciais de cada paciente. Por esse motivo, é muito importante procurar um profissional especializado no assunto.

O que é Rinoplastia?

A rinoplastia é muito comum e evoluiu bastante nos últimos anos, tendo técnicas cada vez mais sofisticadas. Assim, a cirurgia é realizada visando melhorar o aspecto estético do rosto e corrigir deformidades nasais. Ou seja, é a remodelagem da estrutura nasal ou correção respiratória. As possibilidades da rinoplastia são diversas: afinar as asas nasais, diminuir a giba óssea, levantar e dar projeção para a ponta, aumentar ou diminuir o nariz e outras. 

Através de pequenas incisões para retirar quantidades variáveis de cartilagem e osso, a rinoplastia pode ser dividida em duas filosofias cirúrgicas. Ambas podem ser adotadas quando se tratar da primeira rinoplastia. São elas:

Rinoplastia redutora

Essa é uma técnica mais antiga que hoje acaba sendo menos realizada pelos cirurgiões especializados em rinoplastia. Nela, são interrompidos os ligamentos entre as cartilagens e o esqueleto do nariz é diminuído e remodelado. Isso é feito por meio da retirada de cartilagem e também de parte do osso. 

A rinoplastia redutora se tornou menos comum por conta das possíveis sequelas estéticas e funcionais que podem resultar. Com o passar do tempo, por causa da ação de forças naturais, o resultado dessa técnica pode ser alterado, gerando, às vezes, deformações ou dificuldades respiratórias para os pacientes. 

Como proporciona a retirada de boa parte da estrutura óssea e cartilaginosa, a rinoplastia redutora faz com que seja mais comum a necessidade de uma rinoplastia secundária.

Rinoplastia estruturada

Agora, quando o assunto é rinoplastia estruturada, o procedimento já descrito é o mesmo. Entretanto, também são colocados pontos de fixação e enxertos de cartilagem. Esses enxertos são retirados do próprio paciente como, por exemplo, do septo, orelha ou costela, e servem para fortalecer o esqueleto remanescente do nariz. 

As funções respiratórias são otimizadas também, devido à correção de desvios de septo ou carne esponjosa. Essa técnica permite que os resultados sejam mais duradouros e consistentes. Por esse motivo, a rinoplastia estruturada é considerada a melhor técnica para a cirurgia plástica de nariz.

Benefícios da Rinoplastia

Quem tem interesse em fazer rinoplastia por conta do resultado estético pode ser uma melhora significativa em sua autoestima. Isso porque a cirurgia respeita a anatomia facial de cada um, buscando deixar o rosto mais harmônico. Mas, além disso, o procedimento também pode melhorar a funcionalidade do nariz. Confira, então, alguns dos benefícios da rinoplastia:

  • Correção do perfil do nariz;
  • Melhoria na aparência;
  • Uniformidade do nariz em relação a face;
  • Correção da assimetria nasal e do desvio de septo;
  • Diminuição da largura do dorso nasal.

Rinoplastia: cirurgia aberta ou fechada?

Uma dúvida muito comum de quem está interessado em fazer a rinoplastia é se a melhor cirurgia é a aberta ou a fechada. Entretanto, isso depende de cada caso, pois o que pode ser ideal para um paciente, pode não ser para outro. Dessa forma, é necessário conversar bastante com seu médico e entender a diferença entre elas:

Rinoplastia aberta

Na rinoplastia aberta, uma incisão é feita na columela para que toda a tampa do nariz seja deslocada. Isso abre o campo de visão para a cirurgia. Quando foi inventada, somente era utilizada em casos complexos ou no caso da segunda rinoplastia. Hoje, no entanto, passou a ser considerada adequada para qualquer caso. 

A principal vantagem da cirurgia aberta é que o cirurgião tem um campo de visão maior. Ou seja, o procedimento é feito do modo mais preciso possível. Dessa forma, reduz as chances da rinoplastia ser mal sucedida.

Por outro lado, na rinoplastia aberta as incisões são externas. Isso faz com que as cicatrizes na columela sejam visíveis. Se feita por um profissional experiente e qualificado, entretanto, a cicatriz fica imperceptível na maioria dos casos. Mas, além disso, o inchaço pode durar mais tempo, o que significa que possa levar mais tempo para ver o resultado final.

Rinoplastia fechada

No começo, a rinoplastia fechada era realizada às cegas, por meio de um túnel formado até a região do nariz a ser alterada. Atualmente, contudo, essa cirurgia tem algumas diferenças. Inclusive, apresenta duas variações:

  • Rinoplastia fechada clássica: a cirurgia é às cegas, o médico não tem nenhum campo de visão para realizar o procedimento;
  • Rinoplastia fechada parcial: o médico tem uma visão parcial da parte interna do nariz, pois são feitas algumas incisões que deixam expostas as cartilagens da ponta nasal.

Como as incisões são internas, não há nenhuma cicatriz visível. Além disso, através desse procedimento é possível ter uma maior noção de como será o resultado final. A rinoplastia fechada, no entanto, requer um grau de atenção maior por parte do médico.

O nariz é um órgão de destaque no rosto e, por isso, é um dos principais diferenciais para a harmonia dele. Dessa forma, a rinoplastia é um procedimento cirúrgico que tem o objetivo de melhorar a aparência e a proporção do nariz. Isso visa corrigir possíveis incômodos estéticos, mas também pode corrigir dificuldades respiratórias, defeitos de nascença e sequelas de traumatismo. Como é possível realçar a harmonia facial, a rinoplastia também é útil para melhorar a autoestima das pessoas. O procedimento cirúrgico deve respeitar as características étnicas quanto as faciais de cada paciente. Por esse motivo, é muito importante procurar um profissional especializado no assunto. O que é Rinoplastia? A rinoplastia é muito comum e evoluiu bastante nos últimos anos, tendo técnicas cada vez mais sofisticadas. Assim, a cirurgia é realizada visando melhorar o aspecto estético do rosto e corrigir deformidades nasais. Ou seja, é a remodelagem da estrutura nasal ou correção respiratória. As possibilidades da rinoplastia são diversas: afinar as asas nasais, diminuir a giba óssea, levantar e dar projeção para a ponta, aumentar ou diminuir o nariz e outras. Através de pequenas incisões para retirar quantidades variáveis de cartilagem e osso, a rinoplastia pode ser dividida em duas filosofias cirúrgicas. Ambas podem ser adotadas quando se tratar da primeira rinoplastia. São elas: Rinoplastia redutora Essa é uma técnica mais antiga que hoje acaba sendo menos realizada pelos cirurgiões especializados em rinoplastia. Nela, são interrompidos os ligamentos entre as cartilagens e o esqueleto do nariz é diminuído e remodelado. Isso é feito por meio da retirada de cartilagem e também de parte do osso. A rinoplastia redutora se tornou menos comum por conta das possíveis sequelas estéticas e funcionais que podem resultar. Com o passar do tempo, por causa da ação de forças naturais, o resultado dessa técnica pode ser alterado, gerando, às vezes, deformações ou dificuldades respiratórias para os pacientes. Como proporciona a retirada de boa parte da estrutura óssea e cartilaginosa, a rinoplastia redutora faz com que seja mais comum a necessidade de uma rinoplastia secundária. Rinoplastia estruturada Agora, quando o assunto é rinoplastia estruturada, o procedimento já descrito é o mesmo. Entretanto, também são colocados pontos de fixação e enxertos de cartilagem. Esses enxertos são retirados do próprio paciente como, por exemplo, do septo, orelha ou costela, e servem para fortalecer o esqueleto remanescente do nariz. As funções respiratórias são otimizadas também, devido à correção de desvios de septo ou carne esponjosa. Essa técnica permite que os resultados sejam mais duradouros e consistentes. Por esse motivo, a rinoplastia estruturada é considerada a melhor técnica para a cirurgia plástica de nariz. Quem pode fazer? A rinoplastia é indicada para as pessoas que estejam insatisfeitas com o formato natural do nariz. Dessa forma, pode corrigir a desproporção em relação ao rosto, osso saliente, asas laterais abertas, ponta do nariz caída e etc. Além disso, o procedimento cirúrgico também pode estar ligado a outros procedimentos nasais como, por exemplo, a correção do septo nasal. Ela pode ser feita a partir dos 15 anos, pois é nessa idade que o desenvolvido facial do paciente já foi concluído. Mulheres em fase de amamentação e pessoas com doenças prévias em fase aguda não podem fazer a cirurgia. A decisão de se submeter à uma rinoplastia é pessoal. No entanto, todas as considerações e expectativas devem ser conversadas com o médico para avaliar as necessidades e reais possibilidades de cada caso. Estética e Funcional A rinoplastia estética envolve modificar a forma da parte externa nasal. Assim, moldando as estruturas cartilaginosas e ósseas para ter uma harmonia facial maior, além de assegurar o equilíbrio do nariz em relação ao rosto do paciente. No entanto, realizar uma rinoplastia não é necessariamente se submeter a um procedimento estético. A cirurgia de rinoplastia funcional existe justamente para casos nos quais a passagem de ar está prejudicada por causa de alguma estrutura nasal que não apresenta a posição ou tamanho correto. É o caso de desvios de septo, hipertrofias de conchas e outros. O valor de uma Rinoplastia Existem diversos cirurgiões, bem como técnicas diferentes que podem fazer com que a duração da cirurgia seja maior ou menor. Portanto, o valor de uma rinoplastia pode variar bastante. O preço pode variar entre R$ 9.495,00 e chegar até quase R$ 20.000. Alguns dos fatores que influenciam neste valor são: Tipo de cirurgia (rinoplastia simples, rinosseptoplastia, septoplastia, turbinectomia ou outra); Grau de complexidade; Duração estimada da cirurgia; Valor da anestesia e do hospital; Custo das consultas; Cidade em que o paciente realizará a rinoplastia; Renome do cirurgião. Quais os riscos? Como qualquer outro procedimento cirúrgico, a rinoplastia pode ter riscos. Veja abaixo alguns desses riscos: Inchaço Quase todos os pacientes submetidos a rinoplastia apresentam algum grau de inchaço. Na maioria das vezes é passageiro, ou seja, o inchaço costuma diminuir após alguns dias ou dentro de poucas semanas. Quando a cirurgia é funcional, ela é realizada internamente no nariz. Assim, raramente apresentam inchaço aparente. Nesses casos em específico, comumente o que acontece é um edema interno que se manifesta como obstrução nasal. Para resolver mais rapidamente esse problema, pode ser recomendado a aplicação de gelo, além de manter a cabeceira mais elevada durante a noite e realizar drenagem linfática especializada. Contudo, o tempo acaba sendo o melhor remédio para edemas. Sendo muito comum, esse inchaço faz parte de todo o processo natural de cicatrização, não sendo uma complicação cirúrgica. Hematoma Os hematomas aparecem como consequência de algum trauma quando há o acúmulo de sangue extravasado. No caso da rinoplastia, o trauma se dá muito próximo a pele, o que permite que se veja através dela os hematomas. Atualmente existem técnicas e instrumentos menos invasivos, tornando possível que menos pacientes apresentem hematomas. Mas, normalmente, esses hematomas se resolvem com o tempo e não deixam nenhuma sequela. Obstrução nasal Nos primeiros dias após a rinoplastia, uma das reclamações mais comumente relatadas pelos pacientes é de nariz entupido. Mesmo com os tampões nasais terem ficado no passado, frequentemente ocorre o inchaço interno no nariz, o que traz algum grau de obstrução nasal. Essa obstrução nasal pode ser aliviada com a limpeza constante do nariz, a elevação da cabeceira durante a noite e a utilização de descongestionantes nasais. A gravidade dela depende da anatomia de cada paciente, do uso ou não de splints nasais internos e de outros fatores. Sangramento O sangramento não é tão frequente, ainda assim é uma das complicações da rinoplastia mais temida. Nos primeiros dias, é comum que o paciente tenha um leve sangramento no curativo. Contudo, raramente podem surgir sangramentos mais volumosos e que precisam ser controlados pelo cirurgião por não pararem sozinhos. Esse controle pode ser feito pela introdução de um tampão no nariz ou por cauterização, o que requer uma nova cirurgia e anestesia. Após a cirurgia, sangramentos de grande intensidade ou repetidos não só podem, como devem levantar a suspeita de que o paciente seja portador de alguma doença da coagulação sanguínea. Infecção Em diversas cirurgias, as infecções tanto hospitalares quanto cirúrgicas são um grande risco. No entanto, são bastante raras na rinoplastia e, geralmente, podem ser resolvidas facilmente. Casos mais graves, por sua vez, requerem uso de antibióticos venosos, internação e até mesmo drenagem cirúrgica. Rinoplastia secundária Outro risco da rinoplastia é não obter o resultado desejado na primeira cirurgia, seja estético ou respiratório. Como o nariz é constituído de várias camadas de tecidos com funções e propriedades diferentes, a rinoplastia requer conhecimento profundo e respeito a sua estrutura anatômica. A rinoplastia com objetivo estético pode ter consequência respiratória e vice-versa. Na maioria das vezes em que o resultado é indesejado, eles são causados por erros de técnica ou inexperiência do cirurgião. Assim, a rinoplastia secundária é feita para casos de pacientes que já passaram por uma primeira cirurgia de nariz e, por alguma razão, serão submetidos a uma segunda rinoplastia. Os motivos podem ser diversos e estarem relacionados a refinamento do resultado anterior ou até mesmo fatores individuais de cada paciente. Rinoplastia Masculina e Feminina A rinoplastia em homens e mulheres têm algumas diferenças como, por exemplo: Estrutura nasal: primeira diferença entre o procedimento realizado em homens e mulheres é devido a espessura da pele e as cartilagens serem diferentes; Nível de modificações: enquanto a rinoplastia masculina necessita de um nível menor de modificações para manter os traços marcantes e mais retos, na feminina os traços devem ser mais delicados e arredondados; ngulos: na rinoplastia feminina, o ângulo entre o nariz e o lábio superior pode variar entre 95 e 105 graus, mas na masculina essa medida não pode passar dos 95 graus; Inchaço: o edema geralmente dura mais nos homens do que nas mulheres, por conta da pele masculina ser mais grossa; Pós-operatório e a recuperação O gesso que antigamente era utilizado no pós-operatório foi substituído por um plástico enrijecido. Essa substituição é mais higiênica e permite uma melhor fixação, deixando o nariz imóvel por mais tempo. Além disso, esse plástico se molda de modo mais eficiente e pode ser molhado. Normalmente, os curativos são mantidos por 15 dias. Destes, sete dias são com o plástico enrijecido, mais sete dias com fita adesiva porosa e um dia com tampões internos. Devido a presença de coágulos nas narinas, a respiração fica dificultada na primeira semana após a cirurgia. Contudo, melhora com a utilização do descongestionante nasal indicado pelo cirurgião. A alimentação, durante estes sete dias, deve ser mais pastosa, pois a região estará inflamada e dolorida. O pós-operatório normalmente é sem dor. O repouso deve ser absoluto por sete dias e moderado até o décimo quinto dia. As atividades físicas devem ser evitadas por pelo menos três semanas. As cicatrizes da rinoplastia ficam praticamente imperceptíveis e é recomendado o uso rigoroso de protetor solar. Resultados da rinoplastia Um mês após a rinoplastia já é possível ver 95% do resultado final. O resultado completo poderá ser visto entre seis meses e um ano. Se o resultado final não for satisfatório, a rinoplastia secundária é uma possibilidade. Dr. Iran Sanches Conheça o Dr. Iran Sanches e tenha todos os benefícios deste método à sua disposição! Entre em contato conosco e agende sua rinoplastia.

Quem pode fazer?

A rinoplastia é indicada para as pessoas que estejam insatisfeitas com o formato natural do nariz. Dessa forma, pode corrigir a desproporção em relação ao rosto, osso saliente, asas laterais abertas, ponta do nariz caída e etc.

O procedimento cirúrgico pode ser feito a partir dos 15 anos, pois é nessa idade que o desenvolvido facial do paciente já foi concluído. Mulheres grávidas ou em fase de amamentação e pessoas com doenças prévias em fase aguda não podem fazer a cirurgia.

A decisão de se submeter à uma rinoplastia é pessoal. No entanto, todas as considerações e expectativas devem ser conversadas com o médico para avaliar as necessidades e reais possibilidades de cada caso. 

Além disso, a rinoplastia também pode estar ligada a outros procedimentos nasais como, por exemplo:

  • Mentoplastia: redefine os contornos do queixo e tornar mais harmônica o rosto, é comum ser associada à rinoplastia;
  • Turbinectomia: alivia a congestão nasal crônica através da remoção do corneto nasal;

Correção do septo nasal: Tal cirurgia corrige os desvios no septo nasal que comprometem a respiração. 

Estética e Funcional

A rinoplastia estética envolve modificar a forma da parte externa nasal. Assim, moldando as estruturas cartilaginosas e ósseas para ter uma harmonia facial maior, além de assegurar o equilíbrio do nariz em relação ao rosto do paciente. 

No entanto, realizar uma rinoplastia não é necessariamente se submeter a um procedimento estético. A cirurgia de rinoplastia funcional existe justamente para casos nos quais a passagem de ar está prejudicada por causa de alguma estrutura nasal que não apresenta a posição ou tamanho correto. É o caso de desvios de septo, hipertrofias de conchas e outros.

Qual a melhor época do ano para se submeter a uma Rinoplastia?

A rinoplastia pode ser realizada em qualquer época do ano. Entretanto, como algumas complicações podem surgir devido ao calor e a exposição ao sol, os pacientes costumam preferir fazê-la no inverno. 

Essa preferência também se dá por causa da necessidade de usar curativos, o que é mais incômodo quando está calor.

Como é a avaliação para a Rinoplastia?

O médico que realizará a rinoplastia deverá ter o seu histórico médico ou cirúrgico. Portanto, o paciente deverá informá-lo se já realizou alguma cirurgia relacionada na região, se faz uso de alguma medicação e se consome ou já consumiu bebidas alcoólicas, tabaco ou outras substâncias. Além, é claro, de falar sobre as expectativas com a cirurgia. 

É fundamental não deixar a honestidade de lado e abrir uma linha de comunicação para expor todas suas dúvidas.

O médico fará a avaliação da queixa do paciente durante a consulta, bem como um estudo detalhado tanto do nariz quanto das proporções faciais. Assim, ele poderá identificar o que pode ser corrigido com a rinoplastia.  

Para que o paciente consiga ter uma noção do resultado da cirurgia, uma das técnicas que podem ser utilizadas é a de simulação digital. Por meio de um software, o médico mostra a possibilidade de mudança que melhor combine com a simetria facial do paciente.

Exames necessários para Rinoplastia

Tendo definido os objetivos da cirurgia e com a avaliação feita, o médico poderá solicitar alguns exames para analisar a saúde do paciente como um todo. Essa etapa é extremamente importante. Isso porque é uma precaução e garante a segurança do procedimento cirúrgico, a fim de pesar os benefícios e os riscos da cirurgia. 

Alguns dos exames médicos necessários para esse procedimento são:

  • Exame físico: serve para o médico avaliar a saúde geral do paciente;
  • Exame de sangue: necessário para avaliar fatores como, por exemplo, a contagem de plaquetas;
  • Eletrocardiograma: pode ser necessário principalmente para pacientes com histórico de problemas cardíacos, com o objetivo de identificar a possível presença de alguma patologia;
  • Raio-X do tórax: para avaliar a saúde do sistema respiratório;
  • Raio-X dos ossos nasais: serve para averiguar se existe alguma deformidade ou fratura anterior;
  • Teste de gravidez: grávidas não são elegíveis para a o rinoplastia e, por esse motivo, pode ser pedido um teste de gravidez para as mulheres em idade fértil;
  • Coagulograma: para verificar a capacidade de coagulação do sangue;
  • Tomografia computadorizada: para averiguar se existe alguma alteração respiratória nasal, sinusite de repetição ou sangramento.

O valor de uma Rinoplastia

Existem diversos cirurgiões, bem como técnicas diferentes que podem fazer com que a duração da cirurgia seja maior ou menor. Portanto, o valor de uma rinoplastia pode variar de acordo aos seguintes fatores:

  • Tipo de cirurgia (rinoplastia simples, rinosseptoplastia, septoplastia, turbinectomia ou outra);
  • Grau de complexidade;
  • Duração estimada da cirurgia; 
  • Valor da anestesia e do hospital;
  • Custo das consultas;
  • Cidade em que o paciente realizará a rinoplastia;
  • Renome do cirurgião.

Cuidados antes da Rinoplastia

O médico te explicará minuciosamente todos os cuidados que você deve tomar antes do procedimento. Entre as precauções a serem tomadas, estão:

  • Não ingerir bebidas alcoólicas até 1 semana antes da rinoplastia;
  • Não consumir cafeína 12h antes da cirurgia;
  • Jejum completo de 8 horas antes do procedimento, inclusive de líquidos;
  • Ficar atento aos problemas de saúde, como infecções, que impossibilitem que a cirurgia seja realizada.

Quais os riscos?

Como qualquer outro procedimento cirúrgico, a rinoplastia pode ter riscos. Veja abaixo alguns desses riscos:

Inchaço

Quase todos os pacientes submetidos a rinoplastia apresentam algum grau de inchaço. Na maioria das vezes é passageiro, ou seja, o inchaço costuma diminuir após alguns dias ou dentro de poucas semanas. Quando a cirurgia é funcional, ela é realizada internamente no nariz. Assim, raramente apresentam inchaço aparente. Nesses casos em específico, comumente o que acontece é um edema interno que se manifesta como obstrução nasal.

Para resolver mais rapidamente esse problema, pode ser recomendado a aplicação de gelo, além de manter a cabeceira mais elevada durante a noite e realizar drenagem linfática especializada. Contudo, o tempo acaba sendo o melhor remédio para edemas. Sendo muito comum, esse inchaço faz parte de todo o processo natural de cicatrização, não sendo uma complicação cirúrgica. 

Tudo sobre o procedimento Rinoplastia

Hematoma

Os hematomas aparecem como consequência de algum trauma quando há o acúmulo de sangue extravasado. No caso da rinoplastia, o trauma se dá muito próximo a pele, o que permite que se veja através dela os hematomas. 

Atualmente existem técnicas e instrumentos menos invasivos, tornando possível que menos pacientes apresentem hematomas. Mas, normalmente, esses hematomas se resolvem com o tempo e não deixam nenhuma sequela.

Obstrução nasal

Nos primeiros dias após a rinoplastia, uma das reclamações mais comumente relatadas pelos pacientes é de nariz entupido. Mesmo com os tampões nasais terem ficado no passado, frequentemente ocorre o inchaço interno no nariz, o que traz algum grau de obstrução nasal

Essa obstrução nasal pode ser aliviada com a limpeza constante do nariz, a elevação da cabeceira durante a noite e a utilização de descongestionantes nasais. A gravidade dela depende da anatomia de cada paciente, do uso ou não de splints nasais internos e de outros fatores. 

Sangramento

O sangramento não é tão frequente, ainda assim é uma das complicações da rinoplastia mais temida. Nos primeiros dias, é comum que o paciente tenha um leve sangramento no curativo. Contudo, raramente podem surgir sangramentos mais volumosos e que precisam ser controlados pelo cirurgião por não pararem sozinhos. Esse controle pode ser feito pela introdução de um tampão no nariz ou por cauterização, o que requer uma nova cirurgia e anestesia. 

Após a cirurgia, sangramentos de grande intensidade ou repetidos não só podem, como devem levantar a suspeita de que o paciente seja portador de alguma doença da coagulação sanguínea.

Infecção

Em diversas cirurgias, as infecções tanto hospitalares quanto cirúrgicas são um grande risco. No entanto, são bastante raras na rinoplastia e, geralmente, podem ser resolvidas facilmente. Casos mais graves, por sua vez, requerem uso de antibióticos venosos, internação e até mesmo drenagem cirúrgica. 

Rinoplastia secundária

Outro risco da rinoplastia é não obter o resultado desejado na primeira cirurgia, seja estético ou respiratório. Como o nariz é constituído de várias camadas de tecidos com funções e propriedades diferentes, a rinoplastia requer conhecimento profundo e respeito a sua estrutura anatômica. 

A rinoplastia com objetivo estético pode ter consequência respiratória e vice-versa. Na maioria das vezes em que o resultado é indesejado, eles são causados por erros de técnica ou inexperiência do cirurgião.

Assim, a rinoplastia secundária é feita para casos de pacientes que já passaram por uma primeira cirurgia de nariz e, por alguma razão, serão submetidos a uma segunda rinoplastia. Os motivos podem ser diversos e estarem relacionados a refinamento do resultado anterior ou até mesmo fatores individuais de cada paciente.

Rinoplastia Masculina e Feminina

A rinoplastia em homens e mulheres têm algumas diferenças como, por exemplo:

  • Estrutura nasal: primeira diferença entre o procedimento realizado em homens e mulheres é devido a espessura da pele e as cartilagens serem diferentes;
  • Nível de modificações: enquanto a rinoplastia masculina necessita de um nível menor de modificações para manter os traços marcantes e mais retos, na feminina os traços devem ser mais delicados e arredondados;
  • Ângulos: na rinoplastia feminina, o ângulo entre o nariz e o lábio superior pode variar entre 95 e 105 graus, mas na masculina essa medida não pode passar dos 95 graus;
  • Inchaço: o edema geralmente dura mais nos homens do que nas mulheres, por conta da pele masculina ser mais grossa;

Rinoplastia

Pós-operatório e a recuperação

O gesso que antigamente era utilizado no pós-operatório foi substituído por um plástico enrijecido. Essa substituição é mais higiênica e permite uma melhor fixação, deixando o nariz imóvel por mais tempo. Além disso, esse plástico se molda de modo mais eficiente e pode ser molhado. Normalmente, os curativos são mantidos por 15 dias. Destes, sete dias são com o plástico enrijecido, mais sete dias com fita adesiva porosa e um dia com tampões internos. 

Devido a presença de coágulos nas narinas, a respiração fica dificultada na primeira semana após a cirurgia. Contudo, melhora com a utilização do descongestionante nasal indicado pelo cirurgião. A alimentação, durante estes sete dias, deve ser mais pastosa, pois a região estará inflamada e dolorida.  

O pós-operatório normalmente é sem dor. O repouso deve ser absoluto por sete dias e moderado até o décimo quinto dia. As atividades físicas devem ser evitadas por pelo menos três semanas. As cicatrizes da rinoplastia ficam praticamente imperceptíveis e é recomendado o uso rigoroso de protetor solar.

Resultados da rinoplastia

Um mês após a rinoplastia já é possível ver 95% do resultado final. O resultado completo poderá ser visto entre seis meses e um ano. Se o resultado final não for satisfatório, a rinoplastia secundária é uma possibilidade.

O que pode afetar os resultados da Rinoplastia?

Muitos médicos acreditam que não tomar todos os cuidados necessários durante o pós-operatório é algo que pode afetar os resultados. Um desses principais cuidados que devem ser tomados é evitar o contato com o nariz. 

Outro fator que também está relacionado aos resultados do procedimento é a espessura da pele do paciente. A pele mais grossa apresenta resultados mais sutis, mas, por outro lado, a pele mais fina não permite esconder as imperfeições mais óbvias.

Dr. Iran Sanches

Conheça o Dr. Iran Sanches e tenha todos os benefícios deste método à sua disposição! Entre em contato conosco e agende sua rinoplastia.

Cirurgias Faciais, Cirurgias Corporais e Procedimentos Estéticos - Dr. Iran Sanches

CRM – 64705
Cirurgia Geral RQE – nº 13043
Cirurgia Plastica RQE –  nº 13401

Especialista em Rinoplastia e Cirurgia Plástica
Formado em Medicina em 1987 pela Universidade Federal do Paraná, concluiu residência de Cirurgia Geral credenciada e reconhecida pelo MEC em 1989 e em Cirurgia Plástica em 1992, reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Já em 1992 foi aprovado em exames de provas e de curriculum, tendo recebido Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, registrado pelo CREMESP, e pelo Conselho Federal de Medicina.

Em 1996 realizou curso de Cirurgia Plástica na New York University e no Manhattan Eye, Ear & Throat Hospital.
Em 2003 cursos no Mount Vernon Hospital, Northwood e no St. Thomas Hospital em Londres. Em 2012 no Lenox Hill Hospital em NY fellowship em cirurgia facial e foco em rinoplastia. Complementação da formação no Langone Medical Center da New York University.

Em 2016 ascensão a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com a apresentação do trabalho “Rinoplastia: Uma análise retrospectiva”. Esse trabalho científico é baseado na análise de 775 pacientes submetidos a Rinoplastia, entre 1993 e 2015, revelando importantes aspectos dessa casuística.

Anatomista convidado para ministrar vários cursos no MARC (Miami Anatomical Research Center) em anatomia associada a cirurgia facial e procedimentos faciais minimamente invasivos.

Participando com frequência de congressos científicos nacionais e internacionais, se mantem sempre atualizado com as últimas técnicas e procedimentos em Cirurgia Plástica, para proporcionar o melhor tratamento aos pacientes, sempre dentro de altos critérios ético-científicos.