O que não fazer no pós-operatório da rinoplastia?

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das operações mais comuns no mundo, a rinoplastia, também chamada de cirurgia do nariz, é usada para melhorar a aparência e proporção do nariz. Ajuda a fortalecer a harmonia do rosto e melhora a autoestima dos pacientes. A cirurgia também pode corrigir as dificuldades respiratórias causadas por uma anormalidade estrutural no nariz. Apesar de ser um procedimento rápido, a rinoplastia possui um pós-operatório com algumas regras. Inclusive, informando o que não deve ser feito no pós-operatório da rinoplastia.

Pós-operatório da rinoplastia: muito importante seguir as regras

Como toda cirurgia, a rinoplastia tem seu período de cicatrização e durante a fase do pós operatório é necessário realizar as considerações do médico, assim como não fazer o que é proibido durante a recuperação. Em dúvida, os pacientes muitas vezes se questionam o que de fato pode ou não pode fazer durante o pós operatório de rinoplastia. Descubra o que deve ser evitado na cicatrização da rinoplastia:

Não tome sol diretamente

Nos primeiros 14 dias após o procedimento, a exposição ao sol, mesmo que pequena, pode promover inchaços e impedir que a cirurgia cicatrize corretamente. O calor e a radiação solar são inimigas da rinoplastia e é essencial que o paciente obedeça essa regra. Usar chapéus e bonés é muito importante mesmo que a exposição solar seja mínima. Quando se trata de pós-operatório, qualquer detalhe deve ser seguido a risca.

Não levante pesos ou se movimente bruscamente

Quando o especialista recomenda pelo menos 7 dias de repouso após o procedimento e proíbe o levantamento de peso é por motivos nobres. Tanto a movimentação brusca como fazer força pode provocar problemas como sangramentos, machucados e inchaços, sem contar que a dor e a lentidão da cicatrização também ocorrem. Ao fazer uma rinoplastia, o paciente deve ter bastante controle de sua agenda, pois no começo o repouso é essencial.

Outro detalhe muito importante é não usar óculos durante o período de cicatrização da cirurgia, já que pode marcar o nariz e comprometer os resultados do procedimento.

Não abaixar a cabeça

Durante os primeiros cinco a sete dias após a cirurgia, é recomendado que o paciente mantenha a cabeça erguida com travesseiros enquanto dorme. Nesse período, é mais provável que ocorra sangramento e essa posição evita que o sangue seja sugado para os pulmões, e a língua é mantida em uma posição onde o fluxo de ar é melhor, assim como a respiração pela boca. Durante esse período, você também deve evitar dormir de lado ou de bruços, situações em que seu nariz pode bater no travesseiro, causando dor e inflamação.

O pós-operatório da rinoplastia pode parecer cômodo no começo, mas em poucos dias o paciente se acostuma com as recomendações. É importante lembrar que cada detalhe faz a diferença e a saúde do paciente sempre deve ser colocada em primeiro lugar.

Especialista em rinoplastia

O dr Iran Sanches é especialista em rinoplastia, com experiência de muitos anos em cirurgia plástica e foco em rinoplastia. Entre em contato com nossa equipe e agende um horário, estamos à sua disposição!

Cirurgias Faciais, Cirurgias Corporais e Procedimentos Estéticos - Dr. Iran Sanches

CRM – 64705
Cirurgia Geral RQE – nº 13043
Cirurgia Plastica RQE –  nº 13401

Especialista em Rinoplastia e Cirurgia Plástica
Formado em Medicina em 1987 pela Universidade Federal do Paraná, concluiu residência de Cirurgia Geral credenciada e reconhecida pelo MEC em 1989 e em Cirurgia Plástica em 1992, reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Já em 1992 foi aprovado em exames de provas e de curriculum, tendo recebido Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, registrado pelo CREMESP, e pelo Conselho Federal de Medicina.

Em 1996 realizou curso de Cirurgia Plástica na New York University e no Manhattan Eye, Ear & Throat Hospital.
Em 2003 cursos no Mount Vernon Hospital, Northwood e no St. Thomas Hospital em Londres. Em 2012 no Lenox Hill Hospital em NY fellowship em cirurgia facial e foco em rinoplastia. Complementação da formação no Langone Medical Center da New York University.

Em 2016 ascensão a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com a apresentação do trabalho “Rinoplastia: Uma análise retrospectiva”. Esse trabalho científico é baseado na análise de 775 pacientes submetidos a Rinoplastia, entre 1993 e 2015, revelando importantes aspectos dessa casuística.

Anatomista convidado para ministrar vários cursos no MARC (Miami Anatomical Research Center) em anatomia associada a cirurgia facial e procedimentos faciais minimamente invasivos.

Participando com frequência de congressos científicos nacionais e internacionais, se mantem sempre atualizado com as últimas técnicas e procedimentos em Cirurgia Plástica, para proporcionar o melhor tratamento aos pacientes, sempre dentro de altos critérios ético-científicos.