Rinoplastia preservadora: o que é e como funciona? Saiba tudo sobre

Tempo de leitura: 9 minutos

Preparativos para a Rinoplastia

Ter harmonia, simetria, traços finos e delicados no rosto e nariz é o sonho de muitas pessoas. Sendo assim, existem alguns procedimentos que proporcionam essas sutis mudanças e fazem toda a diferença no rosto. Entre elas existe a rinoplastia preservadora, uma nova técnica que veio para ficar e dar mais opções para quem quer um nariz mais bonito. Separamos tudo sobre essa cirurgia para você conhecer mais sobre o futuro da rinoplastia. Confira!

Uma novidade que revoluciona a plástica de nariz

A rinoplastia é uma cirurgia plástica com a intenção de mudar a forma do nariz, sendo uma das mais procuradas ao redor do globo. Há opções para quem aumentar, diminuir, dar mais projeção para a ponta, diminuir abas nasais tanto como a giba óssea. Porém, alguns pacientes acabam postergando seu sonho e deixando para depois a realidade de ter um nariz mais harmonioso. Isso porque as pessoas têm medo de resultados artificiais assim como um pós operatório extremamente doloroso.

Para evitar esses medos e trazer resultados perfeitos, surgiu a rinoplastia preservadora, que como o próprio nome indica reduz extremamente o tempo de pós cirúrgico e traz resultados muito naturais.

Rinoplastia preservadora

Afinal, qual a principal diferença entre a rinoplastia preservadora em relação à outras formas de cirurgia? A rinoplastia preservadora é uma técnica onde preserva os ligamentos e músculos da região. Essa preservação resulta em um menor inchaço, assim como uma recuperação mais rápida e com menos dor, é claro. Outro grande diferencial é que quanto menor o tempo de recuperação, menor as chances de ocorrer algum problema nesse delicado período, certo? Porém, essa cirurgia não pode ser feita em todas as pessoas e nem em todos os casos. Existem algumas situações em que é necessário fazer a cirurgia aberta.

Cirurgia fechada: como isso funciona?

A rinoplastia preservadora, também chamada de rinoplastia fechada é a cirurgia feita abaixo na pele do nariz, sem levantá-la completamente. Ou seja, o médico possui uma visão menor ao mesmo em que precisa ser completamente preciso. Para que a sua cirurgia saia como planejado, conte com um exímio cirurgião plástico com longa experiência na área e, claro, em fazer esse tipo de cirurgia.

A rinoplastia preservadora exige um nível maior de técnica, porém o pós operatório é mais tranquilo e com menos riscos de problemas e hematomas.

Ou seja, por meio de cortes internos e estrategicamente realizados, é perfeitamente possível preservar ligamentos e tecidos, com uma menor necessidade de fazer enxertos de ossos e cartilagens. Diferente de outras formas de rinoplastia, não é preciso refazer as estruturas internas do nariz com enxertos que seriam os novos alicerces das partes internas, por exemplo.

Na rinoplastia preservadora a principal diferença é que a cirurgia faz com que a sustentação do procedimento seja feita de baixo para cima, mantendo sua anatomia e adaptando apenas o que é essencial com os próprios ligamentos e tecidos do local na hora do procedimento.

Qual o porte dessa cirurgia?

A resposta para essa pergunta pode intrigar algumas pessoas. Apesar de parecer ser uma cirurgia pequena, ou seja, de pequeno porte por não ter grande perda de sangue ou riscos graves para a vida do paciente, e ser feitas com pequenas incisões, a cirurgia de rinoplastia preservadora é considerada de grande porte para alguns cirurgiões, isso porque apesar de ser mesmo feita com pequenas incisões e muita delicadeza, é uma cirurgia extremamente complexa por lidar com unidades milimétricas, já que 1 milímetro pode deformar uma região delicada, por exemplo.

Sendo assim, a rinoplastia preservadora é de grande porte por causa da extrema necessidade de movimentos precisos. Não se assuste, essa cirurgia só é considerada de grande por isso, não oferecendo maiores riscos para os pacientes, pelo contrário: por ser fechada gera menos sangramentos e hematomas, assim como menos dores também!

A rinoplastia preservadora está indicada em todos os casos?

Apesar de ser moderna, extremamente detalhista e menos invasiva que o comum, nenhuma técnica de rinoplastia é absoluta, ou seja, nem todos os pacientes possuem a mesma anatomia para serem indicados para rinoplastia preservadora. Esse tipo de rinoplastia está recomendada para pessoas que nunca fizeram rinoplastia, ou seja, em casos primários.

Pacientes que nunca fizeram cirurgia de rinoplastia mas possuem desvios muito grandes, já sofreram traumas, acidentes ou já fizeram outro tipo de cirurgia no local não devem fazer a rinoplastia preservadora pois o médico não conseguirá ver com precisão a região por inteiro, o que é essencial nesses casos.

Lembre-se: apenas o cirurgião possui o conhecimento para avaliar se um paciente pode se submeter a rinoplastia preservadora. Cada caso é único e portanto o paciente também. Se o paciente não puder fazer essa cirurgia, poderá fazer outro tipo de rinoplastia que se encaixará melhor em seu perfil.

Por que a rinoplastia preservadora está ficando tão famosa?

Porque é um nova técnica que apresenta ótimos resultados com a menor quantidade de traumas cirúrgicos possível, o que basicamente significa que o paciente pode voltar às suas atividades mais rápido e com menos dor e inchaço. Outro fator muito importante é que as chances de complicações são menores e caso o paciente precise de mais uma cirurgia, não será necessário enxerto de cartilagem, como ocorre em alguns casos se cirurgia secundária.

A medicina no geral e principalmente o campo da cirurgia plástica é marcada pelas transições e inovações, onde novas técnicas são criadas para serem menos invasivas, mais resolutivas e com menos dor possível. Apesar de nova, a rinoplastia preservadora foi estudada por anos a fio até ser divulgada para o mundo.

Como se preparar para a rinoplastia preservadora?

Exatamente igual às outras técnicas de rinoplastia, não existe segredo para se preparar para uma rinoplastia preservadora, sendo assim, o paciente precisa passar em uma consulta antes do procedimento, realizar exames laboratoriais para saber como está sua saúde geral, assim como exames de imagens para avaliar se existe algum problema no rosto. Além disso, a pele da região precisa estar sem nenhum problema, seja queimadura, câncer de pele, trauma em cicatrização ou qualquer alteração.

1 semana antes da cirurgia é recomendado que o paciente esteja ciente que manter sua saúde em perfeito estado é essencial para o procedimento, ou seja, não utilizar bebidas alcoólicas é indicado nessa fase. Lembrando que um simples resfriado já é um impeditivo para a cirurgia, então o paciente precisa se resguardar e não cometer exageros nessa época.

Qual anestesia usada nessa cirurgia?

A anestesia geral é uma escolha praticamente unânime entre os cirurgiões plásticos nessa nova cirurgia. Ela torna o procedimento mais seguro e o paciente tem todos seus sinais vitais analisados, desde sua respiração, batimentos cardíacos até suas ondas cerebrais. O paciente acorda sem dores, náuseas e menos desnorteado. A anestesia geral conta com vários dispositivos de proteção, revolucionando essa forma de sedação.

Cirurgia de Rinoplastia com anestesia | Dr. Iran Sanches

E quanto tempo dura o procedimento?

Com tempo de cirurgia semelhante com as técnicas tradicionais, a rinoplastia preservadora tem uma duração média de 3 a 4 horas, podendo até utilizar menos tempo do que uma rinoplastia convencional, por ser menos invasiva e ter menor manipulação.

E o pós operatório da rinoplastia preservadora, como funciona?

Apesar de ser menos invasiva, a rinoplastia preservadora assim como qualquer cirurgia causa inchaço na região, podendo ou não apresentar algum tipo de hematoma. A diferença é que esse inchaço, hematoma e dor são diminuídos por causa da técnica escolhida.

O pós operatório é marcado pela simplicidade e rapidez, além de possuir menos riscos de complicações. Em longo prazo o nariz tende a desinchar mais rápido e ter uma mobilidade natural, sem ficar enrijecido ou com aspecto diferente do que era antes da cirurgia. Caso exista a necessidade de um retoque ou até mesmo um refinamento do nariz, os procedimentos costumam ser mais rápidos e simples.

Assim como nas técnicas convencionais, é recomendado que o curativo fique de 7 a 14 dias no paciente. A retirada de pontos pode até não ser necessária, dependendo do tamanho do procedimento e do nível de preservação do mesmo, já que existem casos em que as incisões são menores e a cirurgia é mais curta.

Rinoplastia preservadora é uma novidade que veio para ficar

Dados recentes comprovam que os brasileiros gostam de cirurgia plástica: mais de 1 milhão de procedimentos estéticos invasivos são feitos anualmente, perdendo apenas para os Estados Unidos! Mas quando se fala em cirurgias plásticas em jovens, o Brasil ainda está na primeira posição.

A rinoplastia está em uma das primeiras posições das cirurgias plásticas mais feitas no país, devolvendo a auto estima de milhares de pessoas que querem um rosto mais harmonioso, delicado e simétrico. Sendo assim, a novidade da rinoplastia preservadora é um marco muito importante para o país e para as pessoas que sonham em ter um nariz mais delicado.

A rinoplastia preservadora apresenta ótimos resultados e está cada dia sendo mais procurada por pessoas de todas as idades, principalmente os jovens e não poderia ser diferente no Brasil: está sendo muito bem aceita em todas as regiões e sendo um sucesso.

Dr. Iran Sanches

Conheça o Dr. Iran Sanches e tenha todos os benefícios deste método à sua disposição! Entre em contato conosco e agende sua rinoplastia.

Cirurgias Faciais, Cirurgias Corporais e Procedimentos Estéticos - Dr. Iran Sanches

CRM – 64705
Cirurgia Geral RQE – nº 13043
Cirurgia Plastica RQE –  nº 13401

Especialista em Rinoplastia e Cirurgia Plástica
Formado em Medicina em 1987 pela Universidade Federal do Paraná, concluiu residência de Cirurgia Geral credenciada e reconhecida pelo MEC em 1989 e em Cirurgia Plástica em 1992, reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Já em 1992 foi aprovado em exames de provas e de curriculum, tendo recebido Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, registrado pelo CREMESP, e pelo Conselho Federal de Medicina.

Em 1996 realizou curso de Cirurgia Plástica na New York University e no Manhattan Eye, Ear & Throat Hospital.
Em 2003 cursos no Mount Vernon Hospital, Northwood e no St. Thomas Hospital em Londres. Em 2012 no Lenox Hill Hospital em NY fellowship em cirurgia facial e foco em rinoplastia. Complementação da formação no Langone Medical Center da New York University.

Em 2016 ascensão a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com a apresentação do trabalho “Rinoplastia: Uma análise retrospectiva”. Esse trabalho científico é baseado na análise de 775 pacientes submetidos a Rinoplastia, entre 1993 e 2015, revelando importantes aspectos dessa casuística.

Anatomista convidado para ministrar vários cursos no MARC (Miami Anatomical Research Center) em anatomia associada a cirurgia facial e procedimentos faciais minimamente invasivos.

Participando com frequência de congressos científicos nacionais e internacionais, se mantem sempre atualizado com as últimas técnicas e procedimentos em Cirurgia Plástica, para proporcionar o melhor tratamento aos pacientes, sempre dentro de altos critérios ético-científicos.