A recuperação no pós-operatório de uma Rinoplastia

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das grandes dúvidas que existem entre os pacientes que acabaram de passar por uma Rinoplastia, voltada para arrumar a parte estética do nariz, é em relação ao tempo pós-operatório que será preciso para a recuperação total e a alta médica para retorno às atividades.

Isso porque pode ser dito que como é uma operação que envolve um órgão que não compromete a atividade diária, a pessoa não precisa se preocupar e pode voltar ao normal muito rapidamente. E para quem não gosta muito de ir para o centro cirúrgico, a questão relacionada aos medos próprios podem causar uma preocupação grande em relação ao pós-operatório.

Claro que tudo que se relaciona ao período de recuperação dependerá de como o paciente irá reagir ao pós-operatório. Primeiramente, é preciso entender que o nariz não é apenas mais um órgão do corpo e que se recupera rapidamente.

As narinas são a área que mais demoram para desinchar e cicatrizar após qualquer procedimento. A sensibilidade faz com que sejam tomados mais cuidados para se recupere mais rapidamente. São dicas simples e que, seguidas à risca, resultam na diminuição do tempo de molho.

Rinoplastia não tem dor

Antes, é preciso reforçar que o procedimento não é doloroso. Mas, é preciso explicar sobre o inchaço que fica pós-cirurgia. Internamente, o tempo em que o nariz reabsorve o edema é lento e isso acontece na grande maioria das vezes. O tempo de regressão costuma ser de dois meses.

O uso de compressas geladas e o uso da fisioterapia, combinadas com o uso de remédios podem acelerar o fim do inchaço. Porém, mesmo estando inchado, a respiração não é prejudicada por causa do uso dos splints, que abrem espaço para entrada do ar.

Repouso absoluto e alimentação no Pós-operatório

Sim, para se recuperar da Rinoplastia, o paciente deve ficar totalmente em regime de descanso, que pode durar em até sete dias, a depender da pessoa. Combinado com a pausa, a ingestão de alimentos que facilitem a mastigação é requisito importante para se recuperar bem do procedimento. Depois destes sete dias, o indivíduo já pode ser liberado para retornar ao trabalho.

Atividade física
Após um mês de operação, o paciente já pode ser liberado para fazer suas atividades físicas com regularidade, sem contraindicações. Também é liberado o uso de óculos, porque o nariz já poderá receber o peso da armação sem danificar a estrutura. Atividades que possam causar traumatismo nasal só podem ser feitas após dois meses.

Raios solares
No primeiro mês pós-operatório, é recomendado evitar-se a exposição aos raios solares, tanto para evitar o aumento do inchaço, quanto para diminuir a chance de aparecimento de manchas na pele.

A recuperação final pode durar até 2 anos e isso se deve pelo tempo em que a estrutura do nariz demorará para ficar fortalecida, porque as camadas dos tecidos que recobrem o órgão se acomodam e cicatrizam definitivamente.

Conte com o Dr. Iran Sanches

Conheça o Dr. Iran Sanches e tenha todos os benefícios deste método à sua disposição!

Cirurgias Faciais, Cirurgias Corporais e Procedimentos Estéticos - Dr. Iran Sanches

CRM – 64705
Cirurgia Geral RQE – nº 13043
Cirurgia Plastica RQE –  nº 13401

Especialista em Rinoplastia e Cirurgia Plástica
Formado em Medicina em 1987 pela Universidade Federal do Paraná, concluiu residência de Cirurgia Geral credenciada e reconhecida pelo MEC em 1989 e em Cirurgia Plástica em 1992, reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Já em 1992 foi aprovado em exames de provas e de curriculum, tendo recebido Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, registrado pelo CREMESP, e pelo Conselho Federal de Medicina.

Em 1996 realizou curso de Cirurgia Plástica na New York University e no Manhattan Eye, Ear & Throat Hospital.
Em 2003 cursos no Mount Vernon Hospital, Northwood e no St. Thomas Hospital em Londres. Em 2012 no Lenox Hill Hospital em NY fellowship em cirurgia facial e foco em rinoplastia. Complementação da formação no Langone Medical Center da New York University.

Em 2016 ascensão a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com a apresentação do trabalho “Rinoplastia: Uma análise retrospectiva”. Esse trabalho científico é baseado na análise de 775 pacientes submetidos a Rinoplastia, entre 1993 e 2015, revelando importantes aspectos dessa casuística.

Anatomista convidado para ministrar vários cursos no MARC (Miami Anatomical Research Center) em anatomia associada a cirurgia facial e procedimentos faciais minimamente invasivos.

Participando com frequência de congressos científicos nacionais e internacionais, se mantem sempre atualizado com as últimas técnicas e procedimentos em Cirurgia Plástica, para proporcionar o melhor tratamento aos pacientes, sempre dentro de altos critérios ético-científicos.